A maior, o mais distante, a mais pesada, o mais luminoso… etc…

Arquivo para a categoria ‘Objetos distantes’

Astrônomos detectam quasar mais distante já encontrado

Luz do astro chegou à Terra após 12,9 bilhões de anos.
Buraco negro dentro do objeto tem a massa de 2 bilhões de sóis.

Do G1, em São Paulo

Uma equipe de astrônomos detectou, com o auxílio de telescópios poderosos como o Telescópio Muito Grande (VLT, na sigla em inglês), do Observatório Europeu do Sul (ESO), detectou o quasar mais distante. Os resultados dos estudos do grupo é tema da revista “Nature” desta semana.

Quasares são galáxias muito brilhantes e distantes da Terra. Possuem a massa de milhões de sóis, porém confinada em espaços tão “pequenos” quanto o Sistema Solar. Os especialistas acreditam que cada uma delas possa conter um buraco negro de grandes dimensões em seu centro. Segundo os astrônomos, quasares são os objetos mais luminosos do Universo. No caso do quasar estudado agora – o nome dado pelos astrônomos é ULAS J1120+0641 -, o grupo de pesquisadores afirma que o objeto está localizado a 12,9 bilhões de anos-luz de distância. Isso significa que a radiação emitida pela galáxia demorou 12,9 bilhões de anos para chegar até a Terra e ser detectada pelos telescópios daqui. A estimativa dos especialistas é que o quasar contenha um buraco negro com 2 bilhões de vezes a massa do Sol. Segundo o grupo, Outros tipos de objetos já foram detectados a distância maiores que ULAS J1120+0641, mas nunca tão brilhantes. Começo do Universo A teoria mais aceita atualmente afirma que o Universo tem aproximadamente 13,7 bilhões de anos de idade. Como a luz de ULAS J1120+0641 demorou 12,9 bilhões de anos para chegar até nós, o que os telescópios detectaram é, na verdade, a imagem do quasar quando o cosmo tinha apenas 700 milhões de anos. Naquela época, o espaço ainda era repleto de gás e poeira, material que depois iria compôr os planetas e estrelas atuais.

Quasar ESO 1 (Foto: ESO)Ilustração mostra como seria o quasar ULAS J1120+0641. (Crédito: ESO)

Anúncios

Candidato a objeto mais distante do cosmo

Astrônomos têm novo candidato a objeto mais distante do cosmo

Gigantesca explosão de raios gama ocorreu a 13,04 bilhões de anos-luz da Terra

iG São Paulo 25/05/2011

Foto: Gemini Observatory / AURA / Levan, Tanvir, Cucchiara Na imagem a GRB 090429B, possivelmente o objeto mais distante da Terra

A explosão de raios gama detectada pelo satélite Swift, da NASA, em abril de 2009, foi recentemente revelada como candidata ao objeto mais distante do universo. Com distância estimada de 13,14 bilhões de anos-luz, a explosão está além de qualquer quasar conhecido e pode ser mais distante do que qualquer galáxia previamente conhecida ou explosão de raios gama. O estudo da distância da explosão, conhecida como GRB 090429B, será publicado no periódico científico Astrophysical Journal. A gigantesca erupção de raios gama foi formado a partir de uma explosão estelar quando o universo tinha menos que 4% de sua idade atual – apenas 520 milhões de anos – e menos de 10% do tamanho atual. “A galáxia que comportava a estrela que originou GRB 090429B era realmente uma das primeiras galáxias do Universo”, disse Derek Fox, professor de astronomia e astrofísica da Universidade Penn State, nos Estados Unidos, e um dos autores do estudo. “Além do recorde de distância, GRB 090429B demonstra como explosões de raios-gama podem ser usadas para revelar a localização de estrelas massivas nos primórdios do universo e também para acompanhar os processos de galáxias antigas e formação de estrelas que resultaram em um universo tão rico como o que temos hoje”, disse. Cerca de duas explosões de raios gama – as mais brilhantes explosões conhecidas – são observadas todos os dias. Por causa de seu brilho, elas podem ser detectadas pelos satélites mesmo que ocorram a distâncias de bilhões de anos-luz. Embora as explosões durem minutos, a dissipação da luz permanece observável durante muito mais tempo, o que permite que astrônomos meçam a distância da explosão. No caso da GRB 090423, a distância foi calculada em 13,04 bilhões de anos-luz da Terra. “Este recorde foi superado pela descoberta de galáxias em 2010 e 2011 que empurraram a fronteira cósmica para 13,07 bilhões de anos-luz da Terra, e possivelmente ainda mais. Nossa estimativa de distância para a GRB 090423 faz dela uma versão de ‘revanche das explosões’”, disse Antonino Cucchiara, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, e um dos autores do estudo. “Uma explosão de raios gama está mais uma vez, disputando o título de objeto mais distante no cosmos – para além da quasares e galáxias previamente considerados os mais distantes”.